ROMANTISMO DE SINTRA

ROMANTISMO DE SINTRA

Visitar a vila de Sintra, a 30 km de Lisboa, é algo obrigatório, não só para quem vive perto de Lisboa como para quem vive mais longe. Os turistas também já descobriram a magia daquela vila singular e são presença constante. Na romântica Sintra entramos num mundo aparte, onde palácios majestosos, castelos e mansões fascinantes emergem no meio de montes e florestas luxuriantes.

São muitos os locais de interesse em Sintra.

A começar pela Quinta da Regaleira, localizada no centro histórico da vila. Foi construída entre 1904 e 1910, possui uma arquitetura que remete para os ambientes da monarquia, tem uma estrutura romântica, rodeada de jardins, grutas, lagos, e construções enigmáticas que evocam o gótico e o renascentista. Na Quinta da Regaleira não perca: o Patamar dos Deuses, os Bosques, a Capela da Santíssima Trindade, A Torre da Regaleira ou o Poço Iniciático. Muitos pontos de interesse para a sua visita. Mas há mais: um restaurante e uma livraria estabelecidos no local, bons para relaxar ou ler mais sobre este emblemático ambiente.

Não é possível resistir ao romântico Palácio Nacional da Pena, que, em 2007, foi considerado com uma das sete maravilhas de Portugal. No ano de 2013, foi o palácio mais visitado de Portugal, pois recebeu aproximadamente 800 mil visitantes. No Palácio da Pena conheça: a Entrada Principal da Família Real, os Aposentos da Rainha D. Amélia, o Terraço da Rainha, o Salão Nobre e a Capela.

O Castelo dos Mouros é outro spot imperdível em Sintra. Também conhecido como Castelo de Sintra é uma fortificação construída em torno do século X, após a conquista muçulmana da Península Ibérica, sendo ampliada depois da reconquista cristã. Vá e ficará mararavilhado com uma arquitetura peculiar e com uma vista privilegiada que vai até ao Oceano Atlântico.

E o Palácio Nacional de Sintra... outra maravilha. Tão maravilhoso que, em 2008, foi o palácio mais visitado de Portugal, com aproximadamente 409 000 visitantes. A sua construção iniciou-se no século XV, apresentando uma arquitetura medieval, gótica, renascentista e romântica. O Palácio Nacional de Sintra foi reduto da Família Real Portuguesa até o ano de 1910. Caracterizado por ser uma das mais belas criações quando o assunto é arquitetura e paisagismo ligados ao Romantismo, o Parque e Palácio de Monserrate estão localizados no vale de Sintra. O Palácio faz os olhos saltar, pois traz uma decoração com influências góticas, mouriscas, indianas e até vegetalistas. Ainda, guarda na sua estrutura um dos mais valorizados e ricos jardins botânicos de Portugal.

Estes são os principais spots a conhecer em Sintra. Mas, consoante o tempo de que dispõe, muito mais há para se espantar e aproveitar. O Chalet e Jardim da Condessa d’Edla estão localizados a poente do Palácio da Pena e merecem a sua atenção. Tem uma decoração eclética misturada a pinturas murais, azulejos e cortiças. Na parte de fora há uma vegetação rica em espécies botânicas.

E tem ainda o Museu do Bonsai. Para quem gosta destas plantas tão especias, será uma visita de regalo. No Museu do Bonsai o tamanho interessa. E quanto mais pequeno, melhor. No Museu do Bonsai e da Árvore, único no mundo, há microlaranjeiras, macieiras, romãzeiras e oliveiras, além de uma murraia com 112 anos e 1,60 metros, que veio da China e custa 15 mil euros.

Na marcante data de 25 de abril, de 2016, nasceu o NewsMuseum, ou o Museu das Notícias. Naturalmente que é um espaço dedicado às notícias e à comunicação social. Localizado em Sintra, conta com mais de 25 módulos temáticos, nos quais são recordados episódios da história de Portugal e do Mundo, através da sua cobertura jornalística.

Sintra perdeu o Museu do Brinquedo mas ganhou a Casa da Marioneta. Não fica no centro, mas tem tudo para encantar os mais novos. Ao todo são 300 as marionetas que foram viver para esta casa pequenina no Jardim da Anta. Espectáculos, exposições, oficinas, horas de conto, um clube de teatro e sessões literárias fazem parte da festa.

E Sintra tem um novo encanto para os seus filhos com a Quintinha de Monserrate. A quintinha pedagógica de Monserrate recria o ambiente campestre da região e convida os mais novos a brincarem aos agricultores. Ali podem perceber que o leite vem da vaca, que os legumes são retirados da terra, que as galinhas põem ovos e aprender como se coze o pão. E prová-lo no fim. Até pode ser palco de festas de anos, com o tema Aniversário Saloio.

O eléctrico de Sintra, um dos ex-libris da região, surgiu em 1904 para preencher a necessidade de ligar a vila à Praia das Maçãs, em Colares. Hoje funciona como um transporte turístico e continua a fazer a ligação entre a Vila e a Praia das Maçãs. São quase 13 quilómetros de percurso sinuoso entre a serra e o mar, de uma viagem que dura cerca de 45 minutos. O horário de inverno 2017/2018 do eléctrico de Sintra entra em vigor no dia 30 de outubro e está em funcionamento até 20 de março. A primeira partida é às 10h. O bilhete custa 3 euros para adultos, 2 para menores de 18 anos, sendo que as crianças até aos 6 anos não pagam.

Edificado entre os séculos VIII e IX, o Castelo dos Mouros testemunha a presença islâmica na região e oferece uma paisagem única desde a vila de Sintra até ao Cabo da Roca. O castelo, envolvido por uma dupla cintura de muralhas, tem no interior uma cisterna de águas pluviais, uma porta arqueada em ferradura de traça árabe e a Torre Real. À sua volta, uma rede de caminhos de acesso rodeados por vegetação permitem desfrutar da Serra.

Fundado no século XVI por D. Álvaro de Castro, conselheiro de Estado de D. Sebastião, o Convento dos Capuchos revela o espírito franciscano presente na austeridade da sua construção e harmonia com a natureza. Abandonado em 1834, devido à extinção das ordens religiosas, mantém a rusticidade e, ainda, é possível vislumbrar corredores, celas, refeitório, cozinha e outros vestígios do quotidiano dos religiosos franciscanos.

são estes alguns dos pontos de interesse de Sintra. A família vai adorar.