NO CAMPO COM O PINTAS

NO CAMPO COM O PINTAS

Andar a cavalo sempre foi um sonho, um sonho longos anos adiado. Várias vezes procurei uma resposta para esta vontade, mas sem êxito. Já tinha experimentado a loucura da viagem em camelo (no Egito), a maravilhosa sensação de nadar ao lado e com golfinhos (em Cuba), por isso, esta era uma grave falha, até porque deveria ser bem mais simples de satisfazer. Ao procurarmos uma atividade de lazer no descontos (site onde surgem várias promoções, fiquem atentos!), encontrei a proposta da Quinta de Nossa Senhora de Fátima, em Pegões, para passar um dia no campo, bem perto da cidade.

Saímos de Lisboa pelas 9h e demorámos praticamente uma hora a dar com o local. Mesmo com a ajuda do GPS perdemo-nos, pois este conduzia-nos para as traseiras da propriedade. Porém, o caminho é fácil, depois de explicado pela simpática Iara, a brasileira que nos recebe com um moscatel e um chocolate quente. Apanhando a Vasco da Gama, a saída é a do Montijo. Cerca de 800m depois da saída da rotunda a caminho daquela localidade, à nossa direita, encontramos a Fábrica Regeneradora de Pinhões, seguimos a estrada de terra batida que a acompanha, até chegarmos ao portão da Quinta. Fácil... sim... depois de tudo explicadinho. Valeu bem a viagem pois o dia foi mesmo, mesmo excecional.

O Pintas

Na minha primeira experiência a andar a cavalo conheci o Pintas, um animal com 15 anos, que ainda faz corridas de obstáculos e até foi campeão por equipas, mas que é super dócil e obediente. Devo confessar que senti medo. Sim, sim. Não custa nada, vão dizer, mas é alto e tal. Às voltas no picadeiro com o Pintas e com o tratador Bruno, fui tomando o gosto, acompanhando o compasso, já com muito prazer à mistura. Senti uma enorme felicidade e tranquilidade no dorso do meu novo amigo. Calmamente, o medo ia ficando para segundo lugar. E podia ficar assim eternamente, simplesmente a deixar fluir. Não consegui trotar mais rápido, tenho pena. Mas este é somente o mote para uma nova experiência.

 

Este turismo rural, a apenas 80 km de Lisboa, é uma belíssima quinta, com alojamento (The Camp), com as cavalariças para os dois cavalos e um pónei residentes e com uma Quinta Pedagógica, onde podemos ver os animais domésticos: como os divertidos e irrequietos Scut (beagle); e Bolota (rafeiro alentejano); os patos silvestres e os patos do campo; e as galinhas e os galos, destacando-se o enorme e barrigudo galo de sete anos, o mais duro da capoeira.

 

 

 

  

Depois de andarmos a cavalo e da visita à quinta, tivemos direito a um almoço bem gostoso: um belo arroz de pato para o meu companheiro e um bacalhau à braz para mim, com vista privilegiada para o maior picadeiro do espaço. Cházinho, cafézinho, dispensámos a sobremesa, o moscatel e despedimo-nos com a ideia de voltar. É que, no verão, é possível passar o dia na quinta com direito a piscina. Imaginem a felicidade das crianças! 

 

Já no caminho para o carro, passámos pelas cavalariças com o objetivo de dizer adeus ao Pintas. Lá estava ele a repousar, para depois se juntar aos outros dois. Ficámos a saber que descansa por períodos de 20 minutos, em pé, e que vai descansando pata a pata...

 

 

Como se não bastasse tudo de bom que a Quinta e o Pintas nos proporcionaram, logo à saída podemos encontrar o Migalhas, onde há delicioso pão quentinho sempre a sair, ou o tão do agrado pão com chouriço. Pegões tem somente 2000 habitantes, que se sentem muito bem a viver no campo, tão perto do rebuliço de Lisboa. Para eles as pessoas da cidade vivem constantemente aceleradas e em stress. E, disso, não gostam! Como os percebemos.

 

Nota: Escolhemos este local para a nossa experiência de andar a cavalo (29,90 euros, tudo incluído, depois do desconto). No entanto, existem inúmeros centros de hipismo espalhados pelo país. Optem pelo mais adequado à vossa zona de residência, para simples passeios ou para aulas regulares.

Contactos:

The Camp

Rua Francisco Lucrécio

Quinta Nossa Senhora de Fátima

Pegões

www.thecamp.pt

Telf. 265898164